Palestra sobre produção imobiliária - Bia Rufino

por Júlia Brito, Lívia Dantas e Larissa Coriolano

Foi realizada no dia 26/08/2013  a palestra da Professora Maria Beatriz Rufino, graduada em Arquitetura e Urbanismo pela UFC e ingressante no corpo docente da FAU-USP. Promovida pelo Arqpet, a palestra (baixar aqui) possui como tema a tese de doutoramento da professora (baixar aqui), intitulada Incorporação da metrópole: Centralização do Capital no Imobiliário e Nova Produção do Espaço em Fortaleza, defendida na FAUSP em 2012. A tese analisa a produção imobiliária como transformadora das dinâmicas de produção do espaço nas metrópoles brasileiras no período de 2001 a 2010, tendo como foco de estudo a cidade de Fortaleza.  Elucida o processo de reorganização produtiva do setor imobiliário que disseminou a figura da incorporadora imobiliária, responsável pela inserção de novos capitais no setor e pela flexibilização dos processos produtivos. Em Fortaleza, um cenário dominando por grupos locais patriarcais passa a receber grupos nacionais que não possuem identificação com o espaço sobre o qual atuam, logo não assumem nenhum compromisso com sua dinâmica e conformação, intensificando a lógica capitalista de produção do espaço, materializada na tipologia do condomínio fechado.

Fig. 1 - Cartaz de divulgação do evento
A autora evidencia como esta solução habitacional ,o condomínio, destinada inicialmente às classes altas, apresentando espaços privativos cada vez menores e passou a ser atrelada a novos conceitos e equipamentos, como clubes e parques, trazendo para dentro dos muros os espaços de convivência e lazer que deveriam estar no espaço público. Esta exclusividade é ainda apontada como justificativa do abusivo aumento dos preços, aprofundando um processo de negação da cidade. A autora discute ainda como o condomínio fechado está sendo usado, de forma precária, como modelo a ser reproduzido indiscriminadamente pelo território em resposta à demanda habitacional do chamado segmento econômico que cresce a partir de 2005 e ganha força com o lançamento do Programa Minha Casa Minha Vida em 2009.  Em Fortaleza, tais mudanças acarretaram a incorporação de novos bairros à dinâmica imobiliária mesmo que tais bairros não apresentem infraestruturas e condições tidas como determinantes a expansão urbana.

Fig 2 - Exemplo de empreendimento imobiliário
Vale ressaltar que esse processo de incorporação de novos bairros à dinâmica do mercado imobiliário formal também havia sido identificado em uma pesquisa (baixar aqui) do Arqpet apresentada dos Encontros Universitários de 2010. Nessa ocasião, membros do PET desenvolveram uma metodologia de manipulação e espacialização dos dados do Índice de Velocidade de Vendas do Sinduscom durante todos os anos da década de 2000, para verificar como tem se dado o processo de “deselitização” da produção imobiliária formal em Fortaleza. A partir desta pesquisa tivemos a oportunidade de contribuir com a elaboração da tese apresentada, não apenas através da observação das transformações da produção do espaço de nossa cidade, mas também através da espacialização de alguns indicadores que foram incorporados na tese apresentada. Registramos aqui o nosso agradecimento à professora que nos deu a oportunidade de participarmos do processo de elaboração de uma pesquisa científica.




Comentários