DESIGUALDADE SÓCIO-ESPACIAL E VULNERABILIDADE NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA

Por Emily Cattani


Palestra realizada no dia 29.03.2010, proporcionada pelo PET da geografia UFC. O tema vem muito de encontro com os textos de urbanismo que estamos debatendo. São alguns conceitos que devem entrar no nosso vocabulário.


Profa. Maria Clélia Lustosa Costa


OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES – RECORTES METODOLÓGICOS

AED - Área de Expansão Demográfica
Unidade de pesquisa utilizada para especialização das variáveis (educação, habitação, renda...) disponíveis no banco de dados denominado Metrodata. É composta por contingentes populacionais médios, representados por bairros, conjuntos de bairros, áreas urbanas, zonas rurais ou mesmo municípios.

CAT - Categorias Sócio-Ocupacionais
Os critérios utilizados são:
1. Distinção entre trabalho de características urbanas e rurais;
2. Atividade/ocupação que exige formação profissional para o seu desempenho, ou seja, atividades secundárias ou terciárias;
3. Nível de instrução;
4. Papel da ocupação assumido na tomada de decisão;
5. Propriedade dos meios de produção gerados de acordo com o número de empregos gerados.

Tipologia Sócio Espacial
São sete tipos definidos com base na maior densidade das diferentes categorias sócio-ocupacionais em relação ao conjunto de população ocupadas na região de Fortaleza. São elas: superior, médio superior, médio, popular operário, inferior, popular periférico e rural.

METRÓPOLES
Metrópole no sentido mais largo do termo é antes de tudo um lugar central, um nó decisional em uma rede de cidades.

“É lugar de impulsão, de criatividade, de emissão de ordens e de conexão de fluxos variados que percorrem o espaço”. (GUY DE MÉO, 1992)

“Região detectora de uma elevada taxa de urbanização, agrupada na forma da lei para integração e organização do planejamento e execução de funções com interesses comuns metropolitanos, aglomerados urbanos e microrregiões”. (SILVA, 2005)

VULNERABILIDADE SÓCIO-ECONÔMICA
Vulnerabilidade: “combinação de fatores que possam produzir uma deteriorização de seu nível de bem-estar em conseqüência de sua exposição à determinados tipos de riscos”.
A Vulnerabilidade Social considera: a renda, composição familiar, condições de saúde, acesso e qualidade do sistema educacional, possibilidade de obter trabalho com qualidade e remuneração adequada além da existência de garantias legais e políticas.

Características:
1. Mudanças geradas em seu entorno;
2. Desamparo institucional dos cidadãos pelo estado;
3. Debilidade interna dos indivíduos ou famílias para realizar mudanças necessárias a fim de aproveitar o conjunto de oportunidades que se apresenta;
4. A insegurança permanente que paralisa, incapacita e demotiva no sentido de pensar estratégias e realizar ações com o objetivo de lograr melhores condições de vida (BUSSO, 2001; apud IPVS, 2005)


Contexto:
1. Reestruturação econômica;
2. Globalização;
3. Mudanças econômicas, sociais e espaciais mundiais.

“As metrópoles e as grandes cidades se configuram como espaços contraditórios de concentração de poder, de riqueza e de crescimento econômico, emergindo como lugares onde se agravam as desigualdades sociais que provocam, dentre outros problemas, crises de governabilidade pelo processo.” (BARCELLOS, 2002, pág. 308)

BRASIL - Desenvolvimento econômico desigual – Concentração de renda – Posse de terra – Gradual empobrecimento da população – Fragilidade da regularização da expansão das metrópoles -





Comentários